Fã do Brasil, cão virtual do Obama ‘fala’ sobre sucesso na web


Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/abcmidia/public_html/portalfilhotes.com.br/wp-content/plugins/sharebar/sharebar.php on line 112 and defined in /home/abcmidia/public_html/portalfilhotes.com.br/wp-includes/wp-db.php on line 1290

Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/abcmidia/public_html/portalfilhotes.com.br/wp-content/plugins/sharebar/sharebar.php on line 124 and defined in /home/abcmidia/public_html/portalfilhotes.com.br/wp-includes/wp-db.php on line 1290

Foto: Pete Souza/AP

Obama corre com Bo (verdadeiro) dentro da Casa Branca, em março deste ano. (Foto: Pete Souza/AP)

Bo, o cão d’água português da família Obama, é um cachorro politizado. Em seu blog e perfil no Twitter – nenhum deles escrito oficialmente pela Casa Branca – um internauta se passa pelo animal para relatar em inglês os bastidores da política norte-americana sob o ponto de vista canino. Após uma reportagem que rendeu centenas de seguidores brasileiros no Twitter, o responsável pela criação das páginas e seu cachorro virtual concederam uma entrevista por e-mail ao G1.

O criador da versão on-line de Bo Obama não revela sua verdadeira identidade, alegando que isso poderia prejudicá-lo pessoalmente e também profissionalmente. No entanto, o autor das páginas — que montou até uma galeria de fotos do cão – diz não ter medo de processos, pois o primeiro-cão é uma figura pública, assim como seus donos. “Não vejo problemas, desde que não haja difamação. De certa maneira, o que estou fazendo cai na mesma categoria que programas como ‘Saturday Night Live’.”

Sem revelar se é homem ou mulher, o internauta norte-americano contou ao G1 por que decidiu criar as páginas do cão que, devido ao sucesso no Brasil, começou também a twittar em português usando um tradutor automático. “O Bo Obama tem uma inocência que é única, além do conhecimento e acesso às atividades mais secretas do governo dos Estados Unidos. Essa é uma combinação incrível e incomum, que oferece muitas oportunidades para humor, ensinamentos e comentários”, explicou.

Aproveitando o sucesso de sua criatura – pelo menos no Brasil, por enquanto –, o criador abriu uma lojinha on-line. São camisetas, canecas, sambas-canção e chapéus com a estampa do cão d’água português. “Achei que seria divertido vender algumas camisetas, mas ainda não vendi nada”, admite o internauta, que garante não ter o objetivo de lucrar com sua invenção.

Confira abaixo a entrevista do G1 com o personagem virtual Bo Obama.

– Você ficou surpreso com seu sucesso no Brasil, onde você tem muitos seguidores no Twitter? Tem alguma mensagem para seus fãs brasileiros?

Bo – Não fiquei nada surpreso, porque o Brasil é um país muito aberto e adorável. Acredito que a maioria das pessoas me acha interessante depois que me conhece. Depois que o G1 escreveu uma reportagem sobre mim, ganhei muitos amigos incríveis no Brasil. Não acho que exista um país que receba as pessoas melhor ou de forma mais calorosa. Tenho certeza que meu dono visitará o Brasil em breve e espero que me leve. Quando meus amigos brasileiros visitarem Washington, eles devem me trazer um frisbee ou osso para brincarmos.

Foto: Reprodução

Bo usa um tradutor automático para se comunicar em português com os amigos virtuais brasileiros que invadiram o seu perfil. (Foto: Reprodução )

– Você atraiu muita atenção recentemente (isso até lhe causou problemas, como mencionado em seu blog ). Por que acha que as pessoas se interessam tanto pelo primeiro-cão?

Bo – Acho que as pessoas gostam de animais e de bebês porque eles não ameaçam as pessoas. Nós também oferecemos atenção e amor incondicional. Quem não gostaria de ter um cachorro amoroso e gostoso de abraçar como eu? Acho que ajuda o fato de o meu dono ser a pessoa mais poderosa do mundo: esse é outro motivo para o interesse das pessoas.

Acho que muitas pessoas gostariam de ser eu. Elas gostariam de correr em volta da Casa Branca, pular na cama do meu dono e tirar um cochilo no Salão Oval. É uma fantasia que muitos têm e podem realizá-la através de mim. Ei, o que é esse cheiro? Me leve para fora para que eu possa fazer xixi na minha árvore favorita. Rápido!

– Qual a melhor parte de ser o primeiro-cão? E a pior?

Bo – Há muitos aspectos bons em ser o primeiro-cão. Primeiro, eu como muito bom. Os cozinheiros me alimentam muito bem com sobras especiais, às vezes. Eles cuidam realmente bem de mim. Além disso, minha família me ama muito. Às vezes eles brigam por mim, por minha atenção, querem que eu vá dormir em seus quartos. Isso faz eu me sentir bem.


A parte ruim é que às vezes as pessoas estão tão ocupadas que me deixam sozinho. Outra coisa que não gosto é que não me deixam muito sem coleira. Grrr…

– Você se considera um cachorro mimado?

Bo – Claro que sou mimado! Consigo tudo o que quero. Tomo banho regularmente, me deixam livre de carrapatos, me escovam, me amam e me alimentam. Eu corro na Casa Branca e encontro os poucos ratos que aparecem por lá. Também gosto de tirar fotos. Au!

– Você foi um presente para as filhas de Obama. Elas cuidam pessoalmente de você ou é outra pessoa que faz isso, como uma babá de cachorro?

Bo – Todos se revezam para cuidar de mim. Mas eu ainda sou uma novidade. Mamãe [Michelle] me leva para passear, mas na maioria das vezes quem faz isso é Dale Haney, funcionário-chefe do quintal da Casa Branca. Ele é muito legal e paciente comigo. Posso dizer que todos na Casa Branca me consideram seu cão particular e me dão muita atenção. Estou com uma coceira agora e preciso me coçar. Grrrr…

– É estranho um cachorro ter blog e Twitter. Por que você criou essas páginas e passa muito tempo na atualização delas?

Bo – Recebo muitas cartas na Casa Branca, então acredito que as pessoas se importam comigo. Meu dono mencionou a aquisição de um cachorro quando foi eleito, então acho que sou importante. As pessoas merecem saber o que acontece dentro da Casa Branca, pois ela pertence ao povo. E aqueles dentro dela foram eleitos pelo povo. Então, em nome de uma transparência e abertura completas, é importante dizer às pessoas o que acontece dentro da Casa Branca. Eu sei de quase tudo. Se eu não contar o que está acontecendo, quem contará? Sou um cachorro e as pessoas confiam em mim.

– Você não se cansa de todas essas conversas sobre política que ouve na Casa Branca? Que tipo de assuntos você mais gosta de falar (ou ouvir)?

Bo – Sim, eu fico entendiado às vezes, mas quase sempre é fascinante. E parte dessas conversas eu não entendo. Me interesso muito por corrida e comida. Gosto de comer de tudo. Me dê um bom rato, um esquilo ou até mesmo um inseto. Também gosto quando as garotas leem para mim. Às vezes descanso no colo da mamãe como se eu estivesse dormindo enquanto ela assiste à TV. Também gosto de cheirar coisas, essa é minha atividade favorita.

Foto: Reprodução

Recentemente, em seu blog, Bo Obama fugiu um pouco dos assuntos políticos e revelou sua lista de natal

Fonte: G1


Assuntos Relacionados:


? Conheça Ci, o cão pastor que morre de medo de ovelhas

? Fantasias caninas de Halloween



BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina

 

Design by: ABC midia - Fabio Paiva.